e- revista
Facebook como um canal de vendas

Quando liga o computador ou pega o celular na mão, qual é o primeiro site que você abre? Talvez o... Facebook? Não espantaria se a grande maioria dos leitores dessa matéria dissessem “sim”. Afinal, desde a sua criação em 2004, esta rede social digital cresceu de forma expressiva, tanto no cenário pessoal quanto no corporativo. Em abril do ano passado, o site tinha mais de 1,4 bilhões de usuários em todo o mundo. Inclusive Mark Zuckerberg, um dos fundadores e CEO da rede, anunciou no dia 24 de agosto de 2015 um marco: um bilhão de pessoas acessando a plataforma no mesmo dia.

 

Social Commerce

Com esse número de público e com cada vez mais ferramentas comerciais, não há dúvidas que o Facebook é um espaço fértil para os negócios. Inclusive já existe uma denominação específica para essa área, o Social Commerce, ou Comércio Social que é a integração do e-commerce com as mídias sociais.

No Facebook é possível ter um perfil ou uma página de forma gratuita. Essa última categoria é a mais profissional, indicada para as empresas, já que possui ferramentas de mensuração de resultados, de patrocínio de conteúdo, espaço para descrição da empresa, opção de agendar postagens, aplicativos, entre tantas outras possibilidades.

A partir de um planejamento de conteúdo, a empresa usa a sua Fan Page para divulgar seu posicionamento, promover ações de visibilidade da marca, descrever seus produtos, contar histórias da empresa e, claro, relacionar-se com o cliente. O conteúdo de qualidade é fundamental para interagir com o público online. Indica-se que seja uma média de 80% dos posts com conteúdos diversificados e apenas 20% institucionais, como fotos de produtos, por exemplo. Veja mais sobre isso, nesse link.

Além de atuar como uma plataforma para dar visibilidade para as marcas, o Facebook pode torna-se, em muitos casos, um canal de vendas de produtos. Para isso, um dos destaques são as mensagens Inbox, onde o público pode conversar com a empresa. Na atual configuração da plataforma, o cliente pode deixar mensagens Inbox e enviar mensagens a partir de anúncios patrocinados. Além de responder a partir desses canais, a empresa também pode responder Inbox a comentários feitos pelo público diretamente nas postagens da linha do tempo.

 

Cases da agência

Amanda Ritter é publicitária aqui na Agência Terra Vermelha. Uma de suas tarefas é gerenciar diversas Fan Pages, como as das lojas Gema Fidelizada Malwee e Gema Moda Infantil e Juvenil de Ijuí. Ela conta que recebe diversas mensagens por dia nas Páginas. “A busca geralmente é por informações sobre produtos e preços. Se há tal mercadoria na loja, no tamanho X e também os valores destas. Também há procura por informações sobre horários de atendimento da empresa em datas diferenciadas. Já houve um caso em que o cliente viu o produto no ponto de venda, pela vitrine, e veio pedir especificações da peça e o valor na fanpage da loja. Achei interessante esse episódio, talvez os clientes estejam se sentindo mais a vontade de pesquisar produtos, conferir as novidades e tirar dúvidas no ambiente virtual do que no físico”, descreve ela. Além disso, segundo Vânia Thomas e Juliana Rocha, colaboradoras da Gema Moda Infantil e Juvenil, muitas vezes, os clientes vão até a loja em busca de um produto que viram no Facebook da Gema, ou ligam pra loja pra saber informações sobre o mesmo.

A agência também gerencia há cerca de um ano a Fan Page da Cemavi, de Ijuí. Para esse cliente, já foram realizadas diversas vendas de máquinas de costura ou início de negociações. Venda, inclusive, sem vinda do cliente na loja física, dado que são de outras cidades. A Designer de Moda Paula Helena Unfer, de Três de Maio, entrou em contato via Facebook com a Cemavi. Segundo ela, a conversa Inbox, foi decisiva para iniciar uma negociação com a empresa e vir até a loja física, em Ijuí.

“É ótimo a empresa ter fan page para divulgação dos produtos e é por meio destas publicações que a empresa conquista segurança e merecimento perante a visão dos clientes e possíveis clientes. Foi o que aconteceu comigo. Pela facilidade acabei contatando a empresa via mensagem pela página mesmo e fui maravilhosamente bem atendida, até hoje, assistência que necessito, solicito tudo via mensagem e sou rapidamente respondida com a solicitação resolvida”,  descreve Paula.

 

Diversão, informação e relacionamento

Para a professora do curso de Publicidade e Propaganda da Unijuí, Márcia Almeida, o Facebook é uma mídia eficiente para a demonstração de produtos e vendas. “Existe um grande número de produtos comercializados a partir de fanpages como os ‘facesbrique’, sendo eficazes quando a oferta consegue encontrar o consumidor no momento em que ele tem a necessidade”, afirma. Para ela, com a imensa quantidade de ofertas nas mídias sociais, uma das dificuldades estratégicas é a diferenciação de marcas e produtos que são publicizados na rede.

“Segundo Cláudio Torres, em seu livro a Bíblia do Marketing Digital (NOVATEC-2009), as pessoas conectadas buscam três coisas: diversão, informação e relacionamento, este tripé pode ser trabalhado em planos de marketing e comunicação digital com foco na estratégia de marca e stakeholders. Além de métricas, monitoramento, tecnologia, entender o consumidor e suas necessidades é um bom negócio, afinal as empresas existem para servir seus públicos. É de conhecimento comum que consumidor é detentor do poder da informação e da compra a um clique de distância, então o atendimento, seja off ou on, deve ser encantador, deve superar as expectativas, caso contrário, ele irá para a próxima experiência”, complementa Márcia Almeida.

 

Agilidade, empatia e bom atendimento

Nesse sentido, já é fato que os consumidores querem cada vez mais facilidades na hora da compra. Com a correria do dia a dia, a pesquisa de produtos e serviços pela internet ajuda o cliente, pois proporciona economia de tempo e evita deslocamento físico. E poder pesquisar produtos dentro do próprio Facebook facilita ainda mais, pois as pessoas já passam um bom tempo logadas nesta rede social digital.

A empresa que consegue conversar com seu cliente em tempo real via rede destaca-se como afirma a Publicitária Roseli Horn. “Antes de ir em uma loja, gosto de saber informações prévias se o estabelecimento tem o que preciso. Além disso, já estou me desabituando a fazer ligações para marcar um corte de cabelo, por exemplo. Os salões de beleza que conversam comigo pelo bate-papo ganham minha preferência”, conta ela.

Agilidade, proatividade, informações completas, simpatia. Esses são alguns ingredientes essenciais na hora de conversar com o cliente através do meio digital. Quem está gerenciando essa plataforma, sem dúvidas, precisa ter um instinto e uma atitude vendedora. Daí a importância de se investir em um trabalho profissional para transformar o Facebook da empresa em uma plataforma com bom conteúdo, de relacionamento com cliente e que claro, possa agregar no balanço financeiro da organização.